Watch live streaming video from occupynyc at livestream.com

domingo, 29 de julho de 2012

Superespião americano em conferência de piratas informáticos para "recrutar" aliados


O superespião americano Keith Alexander participou, esta sexta-feira, na conferência anual de piratas informáticos e especialistas em segurança em Las Vegas, nos Estados Unidos, procurando recrutar guerreiros para as batalhas que se travam na Internet.

O diretor da Agência Nacional de Segurança foi o último, e talvez o mais controverso responsável federal, a participar no encontro anual.

"Estou muito impressionado com algumas das coisas que se estão a passar aqui", afirmou Keith Alexander durante uma apresentação perante um auditório lotado. "Nesta sala está o talento que a nossa nação precisa para garantir a segurança do ciberespaço", sublinhou.

A visita à conferência de 'hackers' -- a "Def Con" -- surge depois de Keith Alexander ter dito ao jornal "New York Times" que, entre 2009 e 2011, os ataques informáticos a infraestruturas vitais nos Estados Unidos, como redes de energia elétrica e de telemóveis, aumentaram 17 vezes.

Além de estar à frente da Agência Nacional de Segurança, Alexander, o principal responsável da luta contra os ataques informáticos no Pentágono, é general do exército.

"A minha preocupação prende-se com os ataques destrutivos com graves consequências nas infraestruturas cruciais" e sistemas-chave do governo", disse.

O mesmo responsável apresentou uma lista de grandes empresas, incluindo bancos, fabricantes automóveis e até mesmo firmas de equipamentos de segurança informática que foram pirateadas com sucesso nos últimos dois anos.

"Há muitas empresas com uma tremenda experiência na área da segurança informática que estão a ser pirateadas", constatou Keith Alexander.

"A realidade é que esta é a comunidade que constrói muitas dessas ferramentas", sustentou, ao defender que, por isso, "melhor do que ninguém, esta percebe onde é que isso vai dar e o que pode ser feito para corrigir isso".

Keith Alexander, que até qualificou a "Def Con" como a "melhor comunidade cibernética do mundo", exibiu ainda um portal para quem procura emprego na Agência Nacional de Segurança, tendo ainda mostrado o seu lado humorístico, ao afirmar que não pagam tão bem como outros.

A plateia dividiu-se na hora de reagir, com 'hackers' a permanecerem em silêncio e outros a apontar que se querem ser amigos dos piratas deviam parar de prendê-los.


segunda-feira, 23 de julho de 2012

Fique de olho nos céus para ver discos voadores durante os Jogos Olímpicos, adverte o ex-ministro especialista em OVNIs

Hopefully we may never have to report on anything like this... A UFO takes on Los Angeles in this mock-up

Um dos maiores especialistas em OVNIs do Reino Unido deu suas opiniões sobre a probabilidade de aliens aparecerem de repente em nossos céus - e como a comunidade internacional responderia.

Nick Pope, que tem mais de duas décadas no Ministério da Defesa, disse que eventos de massa neste verão - como os Jogos Olímpicos de Londres - seria um horário nobre para que naves de outros mundos se apresentassem para a humanidade.

Ele advertiu: "Com os eventos de massa, estamos todos em estado de alerta para o terrorismo, mas também deveríamos lançar nossos olhos mais longe e estar preparado para até mesmo o aparentemente mais insondável.''

Os deveres de Pope no Ministério de Defesa incluía relatórios de investigação de OVNIs, entre 1991 e 1994, e diz que ele começou sua pesquisa como céptico, antes de se tornar convencido de que os avistamentos levantaram uma defesa importante para a segurança nacional e as questões de segurança aérea.

Ele estava particularmente interessado nos casos em que as testemunhas eram pilotos, ou onde os OVNIs foram rastreados no radar, e disse que havia outros crentes entre os seus antigos colegas.

Ele disse: "Foi uma crença amplamente difundida nos círculos do Ministério da Defesa que os aliens têm sido capazes de nos detectar durante décadas através de transmissões de TV e rádio."

"O que antes parecia coisa de ficção científica está constantemente sendo realizado pelos órgãos centrais como distintamente real.

"Se os aliens têm estudado a nossa psicologia, eles podem optar por aparecer em nossos céus numa data significativa - a cerimónia de encerramento dos Jogos Olímpicos é uma data que está sendo amplamente divulgada por grupos de conspiração."

"As bombas atómicas detonadas na década de 1940 e a tecnologia de foguetes desenvolvida desde então poderiam, sem dúvida, ter alertado civilizações alienígenas próximas à nossa existência.

"Sobre sua chegada, é difícil dizer o que fariam: explorar, ajudar ou destruir. Nossos recursos fazem de nós uma ameaça especial."

Esperemos que, se os aliens vierem e se apresentarem a nós, eles que venham num espírito de amizade, carinho e aprendizagem partilhada - mas Pope disse que o governo também foi preparado para os piores cenários.

Ele disse: 'O governo deve - e tem planeado - o pior cenário: ataque alienígena e invasão alienígena.

Naves espaciais, armas lasers de energia dirigida estão todas assegurados através do Plano de Invasão Alien para a defesa contra quaisquer naves alienígenas em órbita.

"Se os UFOs entrarem em nossa atmosfera, os jatos da RAF, como os tufões Eurofighter, e mísseis, como os Rapiers guardando os Jogos Olímpicos seriam bem equipados para entrar na luta."

"E se os alienígenas desembarcarem, num movimento sem precedentes, estou em dúvida de que todo o Exército iria se juntar à luta."

"O Exército Britânico e as Reservas seriam chamados e um recrutamento potencialmente introduzido."

Falando sobre o impacto cultural de aliens desde os primeiros casos amplamente relatados na década de 1940, ele disse: "É interessante notar que todos nós estamos de certa forma equipados para lidar com invasão alienígena - jogos como Resistance: Burning Skies na PlayStation ajudam as pessoas a se aclimatar à realidade da vida extraterrestre - e em especial que pode ser hostil.

"É uma crença amplamente difundida de que informações confidenciais sobre armas e táticas úteis no combate à ocupação alienígena são incorporadas em tal jogo.

"A falha principal é nossa falta de conhecimento - estamos limitados na medida do que sabemos sobre as espécies exóticas."

Pope acrescentou: "Os aliens podem possuir armas ou tecnologia avançada que não tenho nenhuma ideia. Os aliens podem ter invisibilidade, um raio da morte, teletransporte, campos de força e outras coisas que não podemos sequer adivinhar.

"Além disso, a unidade é fundamental, mas como a história dita, isso não é tão fácil."

"O curso é lógico para unir o mundo contra a ameaça alienígena, combinando nossa força militar luta no âmbito das Nações Unidas. Mas alguns países não podem lutar.

"Nós vimos esse tipo de traição e covardia na Segunda Guerra Mundial. Embora algumas pessoas corajosas juntaram-se à Resistência, grande parte da França aceitou a ocupação nazi.

"A falha final e talvez maior é a preparação. Com os eventos de massa, todos estão  em estado de alerta para o terrorismo. Mas também devemos lançar nossos olhos mais longe e estar preparado para até mesmo o aparentemente mais insondável. "

fonte: Mail Online

sexta-feira, 20 de julho de 2012

WikiLeaks pede ajuda financeira aos internautas

A organização fundada por Julian Assange diz que quer continuar a fazer o seu trabalho

A organização fundada por Julian Assange diz que quer continuar a fazer o seu trabalho

Depois do bloqueio levado a cabo pelos gigantes Visa e MasterCard, que secaram os recursos da organização, a WikiLeaks decidiu contra-atacar: a organização fundada por Julian Assange lançou um novo site de recolha de fundos onde os apoiantes da causa poderão depositar o seu dinheiro.

Uma associação francesa sem fins lucrativos denominada FFDN (Fund for the Defense of Net Neutrality) abriu para a WikiLeaks uma conta Carte Bleue (um sistema gaulês de cartões de crédito) para que os apoiantes possam aqui depositar as suas doações.

Os interessados poderão fazê-lo através deste link.

Um relatório financeiro sobre a WikiLeaks publicado esta quarta-feira revela que actualmente as receitas não cobrem as despesas. Em 18 meses as receitas do site caíram para 21% dos custos operacionais. Se as coisas continuarem como estão, o WikiLeaks ficará sem dinheiro nos próximos meses.

“Para prosseguir com as suas missões a WikiLeaks deve dispor no mínimo de um milhão de euros imediatamente”, indica o comunicado da Sunshine Press, agência de comunicação do site.

É precisamente para poder continuar a fazer o seu trabalho que a Wikileaks pede a ajuda de todos.

A organização está em dificuldades financeiras desde que uma dúzia de entidades bancárias americanas, incluindo a Visa e a MasterCard, tomaram a polémica decisão de suspender o financiamento à organização após a publicação de cerca de 250 mil documentos secretos do Departamento de Estado americano, em Dezembro de 2010. Os gigantes financeiros americanos tomaram esta decisão contra a WikiLeaks depois das autoridades americanas terem afirmado que as informações publicadas teriam consequências desastrosas para os diplomatas americanos e para os informadores do governo dos EUA. Alguns críticos chegaram a apelidar a WikiLeaks de “organização terrorista” após a publicação destes documentos.

Para já ainda se desconhece se esta acção via França será tolerada pelo gigante Visa, que já em 2011 tinha fechado uma outra via de financiamento da WikiLeaks, através do processador islandês DataCell.

Julian Assange - que continua na embaixada do Equador, em Londres, em busca de asilo - desafiou entretanto o sistema Visa a impedir este mais recente esquema francês: “Eles que fechem esta via”, disse Assange em comunicado, citado pela AP, acrescentando os gigantes americanos de serem uma “pandilha corrupta”. “Os nossos advogados ficarão à espera”, acrescentou ainda Assange.

Assange está a lutar contra uma extradição para a Suécia, onde é acusado de ter praticado delitos sexuais. Desde que foi preso no Reino Unido, em finais de 2010, Assange - que nega todas as alegações de delitos sexuais - tem lutado contra a extradição para a Suécia.

fonte: Público

sábado, 14 de julho de 2012

Espaços verdes de Londres com mísseis para proteger espaço olímpico


A cidade de Londres, nomeadamente nos espaços verdes, criou um anel de aço com armamento, para proteger o espaço aéreo dos Jogos Olímpicos. A decisão tem criado alguma polémica uma vez que as armas foram colocadas em locais estratégicos de segurança, incluindo telhados de prédios residenciais. Sistemas de mísseis estão a ser instalados em Leytonstone, Bow, Blackheath Common e Oxleas Wood, Enfield e Epping Forest. Trata-se da maior operação de segurança em tempo de paz que o país já viu.

É uma operação de segurança que as gerações mais velhas achavam que não voltariam a ver no país, escreve hoje o jornal britânico Daily Mail. Soldados instalaram, ontem, mísseis e outro tipo de armamento em seis locais estratégicos de Londres, incluindo blocos de apartamentos residenciais e espaços verdes. Algo que não era visto desde a Segunda Guerra Mundial.

Os militares começaram, ontem, a fazer um "anel de aço" à volta da cidade no sentido de proteger o espaço olímpico de eventuais ataques terroristas. Os seis locais de eleição foram Leytonstone, Bow, Blackheath Common e Oxleas Wood, Enfield e Epping Forest.

O local que tem levantado mais polémica é o bloco residencial Fred Wigg Tower em Leytonstone, no leste de Londres. Mas os moradores perderam esta semana em tribunal a tentativa de evitar que todo este equipamento de defesa aérea esteja por cima das suas cabeças.

Os moradores temem que estas medidas de proteção os possa tornar alvos terroristas, mas os responsáveis pela segurança garantem que não há "nenhuma ameaça credível".

O Starstreak, sistema de mísseis de alta-velocidade, cujas armas são guiadas por laser, é tão poderoso que pode derrubar um avião.


Caos na segurança dos Jogos Olímpicos

Caos na segurança dos Jogos Olímpicos

A duas semanas do início dos Jogos Olímpicos, por causa do fracasso das empresas privadas de segurança, o governo britânico foi obrigado a recrutar mais 3500 soldados do que o previsto. Segundo o jornal espanhol El Mundo o caos está instalado. Existem ainda problemas nos transportes, estações em obras e estradas fora de circulação.

Os Jogos Olímpicos arriscam-se a começar, em Londres, no dia 27 de julho sem todos os problemas de segurança resolvidos. A empresa privada G-4S - responsável pela segurança - já reconheceu que não têm elementos suficientes para garantir o acesso ao Parque Olímpico e por isso o governo britânico foi forçado a intervir recrutando mais 3500 soldados, contabilizando no total 17 mil efetivos do Exército no local.

Mil soldados terão de vir a partir de uma base alemã. Muitos outros foram recrutados mal chegaram do Afeganistão. A militarização dos Jogos Olímpicos é inevitável e a fatura que o contribuinte britânico terá de pagar por este "plano de contingência" é de 25 milhões de euros.

O fiasco da empresa G-4S, que em maio anunciou ter 100 mil ofertas para preencher 10 mil vagas de emprego, foi claro para o governo de David Cameron, empenhado a cortar nos efetivos de polícia em nome da austeridade, e em deixar nas mãos dos privados a rentabilidade do negócio da segurança. Um ex-funcionário da G-4S declarou à Skynews que a falta de formação dos agentes privados é tal que "nas condições atuais há um risco de 50% de alguém conseguir realizar um atentado e enganar a segurança".

Escândalo semelhante aconteceu nos aeroportos, forçados a contar com funcionários públicos depois de ser evidente que as empresas privadas não tinham pessoal qualificado suficiente para lidar com a enchente de mais de 300 mil visitantes esperados em Londres durante os Jogos.

A qualquer um destes escândalos teve de responder na Câmara dos Comuns a ministra do Interior, Theresa May, em risco de tornar-se a primeira vítima política em 2012. May anunciou - e até pareceu uma piada - que os soldados e as suas famílias recebem 10 mil bilhetes gratuitos para compensar o esforço de ficar sem férias.

Ao caos da segurança é adicionado o colapso das estações ferroviárias verificado no primeiro "simulacro olímpico", obras de emergência por terminar e a principal via de acesso ao aeroporto de Heathrow fechada ao trânsito.


quarta-feira, 11 de julho de 2012

Vírus do Dia do Juízo Final não causou problemas de maior

Vírus do Dia do Juízo Final não causou problemas de maior

Vírus DNS Changer redireciona o tráfego na Net

O chamado vírus do Dia do Juízo Final, com potencial para bloquear o acesso à Internet em dezenas de milhares de computadores em todo o mundo, não causou na segunda-feira problemas de maior, noticiou a agência AFP.

Empresas de segurança reportaram interrupções insignificantes associadas ao vírus DNS Changer, com muitos fornecedores de serviços na Internet a repararem avarias ou informarem clientes sobre os passos a seguirem para limpar os seus computadores.

No domingo, 210 mil computadores foram infetados, incluindo mais de 41 mil nos Estados Unidos.

Na segunda-feira, servidores temporários instalados pelo FBI para direcionar normalmente o tráfego na Net, mesmo em computadores infetados, foram encerrados.

Contudo, especialistas em segurança informática asseguraram que grande parte dos utilizadores da Internet e dos fornecedores de serviços teve tempo para dar a volta ao problema.

O vírus DNS Changer foi criado por cibercriminosos para redirecionar o tráfego na Internet, desviando os sistemas de nomes de domínio (DNS, na sigla em inglês) dos serviços online.

No ano passado, o DNS Changer infetou cerca de quatro milhões de computadores em todo o mundo, levando à intervenção do FBI norte-americano, da polícia estónia e de outras entidades.


Revista proibida de publicar capa com imagem polémica do Papa

Revista proibida de publicar capa com imagem polémica do Papa

Revistas já colocadas à venda não serão recolhidas

A revista alemã "Titanic" foi proibida, por decisão do Tribunal de Hamburgo, de publicar na capa e na internet uma montagem fotográfica do Papa Bento XVI com uma grande mancha amarela na sotaina branca.

A justiça alemã deferiu, assim, a providência cautelar apresentada pelo Vaticano, que se mostrou chocado com a forma como o Papa foi retratado na revista satírica, sob o título "Halleluja im Vatikan Undichte Stelle gefunden" (Aleluia no Vaticano - Encontrada mais Uma Rutura).

Trata-se de uma alusão ao recente escândalo de furto de documentos secretos na Santa Sé publicados na imprensa e batizado com o nome de "Vatileaks", que conduziu à detenção do camareiro do Papa.

Na contracapa da mesma edição, Bento XVI surgia de costas, igualmente com uma mancha escura na sotaina, a sugerir igualmente, tal como na capa, que o Papa sofre de incontinência urinária, sob o título "Noch eine Undichte Stelle Gefunden" (Encontrada mais Uma Rutura).

Os exemplares da "Titanic" que já foram enviados às distribuidoras não terão, no entanto, de ser retirados do mercado, precisou o porta-voz do tribunal.

O porta-voz da Conferência Episcopal Alemã, Matthias Kopp, afirmou que a "Titanic" "violou os direitos de personalidade do Papa e ultrapassou todos os limites do que é admissível", congratulando-se com a decisão judicial.

Por seu turno, o chefe de redação da revista, Leo Fischer, anunciou que a "Titanic" vai recorrer da sentença.

"Bento XVI entendeu-nos mal, a capa da nossa revista mostra um Papa que festejou efusivamente a descoberta de um espião no Vaticano e entornou um copo de limonada na sotaina", disse o jornalista alemão, lembrando que o Papa é conhecido por gostar de beber o refrigerante Fanta.

Fischer disse ainda esperar que tudo possa ser esclarecido em conversa com o Papa, anunciando que os responsáveis da "Titanic" se recusaram a assinar a ordem do tribunal.


sexta-feira, 6 de julho de 2012

WikiLeaks publica dois milhões de emails de responsáveis sírios

Os emails são de Agosto de 2006 a Março de 2012

Os emails são de Agosto de 2006 a Março de 2012 (Foto: Petar Kujundzic/Reuters)

A WikiLeaks anunciou a publicação de mais de dois milhões de emails de políticos e de outros responsáveis sírios que revelam os contactos com empresas ocidentais. Entre as revelações está que o grupo italiano Finmeccanica vende à Síria tecnologia usada na repressão.

A WikiLeaks começou a publicaros arquivos da Síria, mais de dois milhões de emails de personalidades políticas sírias, de ministérios e de empresas, trocados com entidades do Ocidente, datados entre Agosto de 2006 e Março de 2012”, disse Sarah Harrison, porta-voz da WikiLeaks, numa conferência de imprensa em Londres.

Estes emails, em diversas línguas, que vão sendo disponibilizados no site da WikiLeaks, são também alvo de tratamento noticioso em várias publicações, como a agência noticiosa norte-americana Associated Press, o jornal egípcio Al Masry Al Youm, a rádio alemã ARD, a revista italiana L’Espresso e o jornal espanhol Publico.

A notícia que está a abrir tanto a L'Espresso como o Publico espanhol é a relativa à Finmeccanica: a empresa Selex, que pertence a este grupo fabricante de armamento, firmou em 2008 um contrato com a Syrian Wireless Organis para por a funcionar o sistema de comunicações TETRA, usado em todo o mundo com fins de segurança e militares.

A TETRA é uma rede de comunicações wireless que permite transmitir dados multimédia a grande velocidade a partir de várias plataformas fixas ou móveis e múltiplas localizações. Muitos países usam-na para coordenar a suas forças de segurança em situações de emergência.

Este contrato é de conhecimento público, mas as empresas continuaram a colaborar, mesmo depois de se ter iniciado a revolta contra o regime do Presidente Bashar al-Assad, em Março de 2011. Nessa altura, diz a revista L'Espresso, o regime pede à Selex peças para helicópteros - ao que a Selex responde dizendo que será difícil, pois estas peças são abrangidas pelas sanções norte-americanas contra a venda de armamamento à Síria.

Por outro lado, segundo os e-mails, a Selex vendeu à Síria 3484 radios VS3000 para veículos; 1407 para motorizadas; 60 para navios; 1602 terminais fixos FC3000, e outros 30 AS3000 para helicópteros.

No negócio participa ainda uma empresa grega, chamada Intracom Telecom, com uma filial na Síria. É presidida porSokratis Kokkalis, antigo dono do clube de futebol Olympiakos, recorda o Publico espanhol, acusado de subornar funcionários do exércrito grego para comprar produtos de tecnologia da Alemanha de Leste, nos tempos da Cortina de Ferro.

Desde o início de 2012 começaram a entrar em vigor um série de sanções económicas da União Europeia contra o regime de Damasco, o que dificultará obter novas peças e actualizações para o armamento que já possui.

fonte: Público

Computadores infetados podem perder acesso à Net



Quem tiver o vírus Alureon no computador corre o risco de ser "expulso" da Internet na próxima segunda-feira, quando os servidores "seguros" forem temporariamente desligados.

Os utilizadores da Internet estão a ser avisados pelo FBI para se assegurarem que os seus computadores não foram atacados pelo vírus "Alureon/DNS Changer bot". Este vírus entrou em milhares de computadores em todo o mundo, no ano passado, e está programado para redirecionar os computadores de sites fiáveis para sites preparados para roubar informações financeiras e pessoais dos seus utilizadores.

A fraude foi descoberta em novembro e levou à detenção de seis cidadãos da Estónia que utilizavam aquele programa para manipularem a publicidade na Internet e dirigir os utilizadores para servidores sob o seu controlo. Após a descoberta, o FBI substituiu aqueles servidores por outros, de transição, para evitar que os utilizadores afetados ficassem de imediato sem acesso net.

Será o desligar destes servidores de transição que poderá deixar milhares de utilizadores sem ligação à Internet a partir desta segunda-feira se, entretanto, os computadores contaminados não tiverem sido limpos do vírus.

Os avisos acerca do problema tem sido feitos através do Facebook e do Google e o próprio FBI criou um site para o efeito. Apesar dos repetidos alertas, o número de computadores infetados ascende a mais de 277.000 em todo o mundo, dos quais, segundo o FBI, 64.000 são norte-americanos. Cerca de 500 empresas foram também identificadas como tendo os seus computadores infetados pelo Alureon.

Para ficarem a saber se o seu computador está infetado ou não, os utilizadores podem visitar o site da empresa contratada pelo FBI em http://www.dcwg.org/ que disponibiliza links para sites de confiança que fazem correr uma rápida análise aos computadores ou explicam aos utilizadores, com instruções detalhadas, a forma de analisarem eles próprios as suas máquinas.


quinta-feira, 5 de julho de 2012

JOGOS OLÍMPICOS 2012

Existem algumas "pistas" evidenciando que podem ocorrer atentados terroristas em Londres, durante os jogos Olímpicos . Um atentado terrorista semelhante ao do "World trade Center" poderia desencandear uma Novem ordem Mundial, como a Elite deseja .

O Evento dos Jogos Olímpicos está repleto de simbologia oculta, além disso as cartas do Jogo Illuminati de Steve Jackson também mostram o Big Ben destruído por uma catástrofe.

E , recentemente, o website da fundação Rockefeller, traça um "provável" cenário catastrófico, em que morrem 13.000 pessoas num atentado bombista durante os jogos Olímpicos. Será uma simples suposição, ou eles sabem de algo?

Veja no site oficial : AQUI.


E pesquise por : Hack Attack .

Video relacionado :



Eles certamente prevêem um atentado ( ou planeiam algum), repare nesta notícia :

Ministério da Defesa britânico planeia colocar instalações de mísseis anti-aéreos nos edifícios da capital durante os Olímpicos deste Verão .

Os habitantes de vários bairros residenciais da capital britânica estão a receber panfletos militares nas suas caixas de correio, que indicam que um "Sistema de Mísseis de Alta Velocidade" pode vir a ser instalado em breve em edifícios locais, noticia a BBC.



Simbologia:

Veja os projectores de Luz do Estádio, e repare na forma piramidal, semelhante à pirâmide illuminati :


A Mascote dos Jogos Olímpicos tem um só olho, é ciclope :


O Logotipo "2012" também lembra a palavra "ZION" ( Sião )



E também se parece com a silhueta de duas pessoas copulando :


Carta do Jogo «Illuminati New World Order » mostrando o Big Ben sendo destruído. Atentado em Londres?


Uma série televisiva "Spooks code 9 " difundida pela BBC desde 2008 , ambientada para a época de 2012, num dos episódios mostra Londres sendo atacada por uma explosão Nuclear durante os Jogos Olímpicos.. Esta série ainda passa na tv e vai na 9ª Temporada . .




ATENTADO TERRORISTA :
Parece que vai haver algo.
Os serviços secretos dizem que extremistas da Al-Qaeda estão a preparar um atentado, com recurso a cianeto :
jogos olimpicos Londres atentado

Qual é o significado da Chama olímpica ?

A tocha olímpica é inspirada em Prometheus, que na mitologia grega era o titã que roubou o fogo dos deuses para dá-lo à humanidade, tornando os seres humanos habilitados a coisas divinas, podendo aspirar a deuses. Em algumas sociedades secretas Prometeus é venerado e é comparado a Lúcifer. O «Portador da Luz» .



Ovnis ?

Um ex-funcionário do Ministério da Defesa do Reino Unido (MOD) e pesquisador de casos ufológicos, Nick Pope, disse que nos Jogos Olímpicos de Londres há uma grande possibilidade de surgirem ovnis para um contacto. Seria um encontro real, ou seria um false-flag ? (falsa bandeira, encenação, hoax ).

O Certo é que em 1984 nos jogos Olímpicos de Los Angeles foi feita uma encenação em que um Ovni ( suspenso por cabos de aço por um helicóptero Bell 214 ), aterrava no estádio, enquanto se ouvia a música do filme «encontros imediatos de 3º grau ». Simbolismo ?

fonte: Realidade Oculta

Parlamento Europeu chumbou Acordo Comercial Anticontrafacção

Deputados europeus mostram cartazes durante a votação

Deputados europeus mostram cartazes durante a votação (Foto: Frederick Florin/AFP)

O Acordo Comercial Anticontrafacção (ACTA) foi chumbado nesta quarta-feira, em sessão plenária, pelo Parlamento Europeu (PE), em Estrasburgo.

Esta era o desfecho esperado para esta votação em plenário, depois de este acordo já ter sido anteriormente rejeitado por quatro comissões do PE, a última das quais pela Comissão do Comércio Internacional do Parlamento Europeu, no passado dia 21 de Junho.

Esta foi a primeira vez que o Parlamento exerceu o poder de rejeitar um acordo comercial internacional, um direito previsto no Tratado de Lisboa. Na votação de hoje, 478 eurodeputados votaram contra, 39 a favor e 165 abstiveram-se.

O ACTA é um acordo que pretende, entre outros aspectos, uniformizar as medidas de combate à violação dos direitos de autor a nível mundial e a contrafacção de forma ampla, desde medicamentos a outros produtos comerciais.

O acordo foi assinado em Janeiro passado em Tóquio por 22 dos 27 Estados-membros da UE, incluindo Portugal. A par da UE, o ACTA foi negociado com os Estados Unidos, Japão, Canadá, Nova Zelândia, Austrália, Singapura, Coreia do Sul, Marrocos, México e Suíça.

Duas organizações portuguesas tinham subscrito o ACTA: a Associação de Editores de Obras Musicais (AEOM) e a Associação Fonográfica Portuguesa (AFP).

O PE não tinha poderes para alterar o ACTA (acrescentar-lhe alterações ou propor emendas, por exemplo), mas apenas para aprovar ou rejeitar o documento.

Uma vez que não aprovou o documento, o ACTA internacional fica sem efeito no espaço da UE, embora o Tribunal Europeu de Justiça ainda não tenha dado o seu parecer sobre este documento. Em Abril, a Comissão Europeia decidiu enviar o texto do acordo para este tribunal devido a críticas sobre alegadas violações a direitos fundamentais.

Uma vitória para a "democracia participativa"

De acordo com o grupo parlamentar europeu Esquerda Unitária Europeia/Esquerda Nórdica Verde (GUE/NGL), a votação de hoje constitui "uma vitória para a democracia participativa".

“Os cidadãos colocaram as suas esperanças nos eurodeputados para que estes defendessem os seus interesses contra a Comissão [Europeia] e contra os interesses da poderosa indústria”, indicou o eurodeputado da coligação GUE/NGL Helmut Scholz.

“O Comissário [Karel] De Gucht (Comércio) sofreu uma derrota na sua tentativa equivocada de estender o controlo corporativo à Internet”, acrescentou Scholz. “Nunca foi tão claro que a Internet é um elemento vital no funcionamento da democracia europeia. O conceito de lidar com a informação e com o conhecimento está a mudar e a legislação deveria reflectir isso mesmo ou ser deitada fora”.

O ACTA é, desde a sua criação, uma proposta muito polémica junto dos grupos que têm uma visão mais libertária da Internet, já que ao seu abrigo a liberdade online e os direitos civis poderiam vir a sofrer um duro golpe em nome dos direitos de propriedade intelectual.

Este acordo suscitou um movimento sem precedentes por parte de milhares de cidadãos europeus, que pediram a rejeição do acordo através de manifestações, e-mails e telefonemas para os eurodeputados. O PE recebeu ainda uma petição assinada por 2,8 milhões de cidadãos de todo o mundo, instando o Parlamento a rejeitar o acordo.

O comissário Karel De Gucht já disse entretanto em comunicado que “reconhece” a escolha feita pelo Parlamento Europeu, mas admite: “Com a rejeição do ACTA, a necessidade de protegermos a espinha dorsal da economia europeia em todo o mundo - a nossa inovação, a nossa criatividade, as nossas ideias, a nossa propriedade intelectual - não irá desaparecer”.

“Saúdo o debate que o ACTA criou junto dos cidadãos europeus acerca da importância de pormos fim ao comércio de bens ilegais e contrafeitos e da importância de protegermos a nossa propriedade intelectual, a bem da economia e do trabalho na Europa. Acredito que este debate irá continuar - especialmente acerca das preocupações levantadas no que toca aos direitos de propriedade intelectual no ambiente digital”, disse o comissário.

Karel De Gucht afirmou ainda que irá continuar à espera da opinião do Tribunal Europeu de Justiça. “Os cidadãos europeus levantaram as suas dúvidas e agora têm o direito de receber as suas respostas. Temos de respeitar esse direito”.O grupo parlamentar Aliança Progressiva dos Socialistas e Democratas no Parlamento Europeu (S&D) também já afirmou em comunicado a sua satisfação por ver o ACTA chumbado em sessão plenária.

David Martin (Reino Unido) - o eurodeputado britânico responsável por este assunto no Parlamento - disse após a votação que o ACTA está agora “morto graças ao PE”. “Estou muito satisfeito por o Parlamento ter seguido as minhas recomendações e ter rejeitado o ACTA”.

“O acordo é simplesmente demasiado vago e aberto a interpretações erradas. Eu serei sempre um defensor das liberdades civis por oposição à protecção dos direitos de propriedade intelectual na UE”, acrescentou David Martin.

Também o grupo parlamentar Aliança dos Democratas e Liberais pela Europa (ALDE) saudou esta rejeição, que apelida de “acordo ineficaz que coloca as liberdades civis em risco”.

Guy Verhofstadt, presidente da ALDE, afirmou que o ACTA “levantou várias preocupações na sociedade civil e mesmo aqueles que (...) estão a favor dos direitos de propriedade intelectual ficaram sem saber o que argumentar para defender este acordo”.

“Este acordo sofre com o facto que os maiores contrafactores não serem signatários. O direito à propriedade intelectual merece um tratamento mais rigoroso e é por isso que a Comissão Europeia deveria reconsiderar a sua abordagem” a este problema, acrescentou Verhofstadt.

“Oportunidade perdida”

Pelo contrário, as indústrias criativas europeias - que lutavam pela aprovação da ACTA - classificam a votação de hoje como uma “oportunidade perdida pela União Europeia no sentido de proteger as suas indústrias de base inovadora e criativa nos mercados internacionais”.

Genericamente, a rejeição do ACTA é, na opinião da indústria, “prejudicial para a propriedade intelectual, para o emprego e para a economia”.

“Os direitos de propriedade intelectual continuam a ser o motor da competitividade global da Europa e um factor para o crescimento económico e para o emprego. No cenário económico actual, a protecção destes direitos para além do espaço europeu é particularmente crucial. A Europa podia ter aproveitado a oportunidade para apoiar um tratado importante que permitiria elevar os padrões da propriedade intelectual internacionalmente”, indicou Alan C. Drewsen, director executivo da International Trademark Association (INTA), uma das associações signatárias do ACTA, num comunicado genérico assinado pela indústria e que foi fornecido ao PÚBLICO pela AFP.

Por seu lado, o secretário-geral da International Federation of Actors (FIA), Dominick Luquer, afirmou que “o debate acerca do ACTA foi infelizmente balizado em torno de conceitos como censura e ‘ruptura na Internet’, em vez da protecção de bases económicas e emprego na Europa”.

Dara MacGreevy, directora da unidade de antipirataria da ISFE (Interactive Software Federation of Europe), afirmou por seu lado que “ao contrário de muitas afirmações proferidas, os direitos individuais fundamentais são totalmente respeitados pelo ACTA e aguardamos com interesse a opinião do Tribunal de Justiça a esse respeito”.

fonte: Público

domingo, 1 de julho de 2012

Os poderosos que fazem chichi na floresta



O ritual repete-se há 133 anos: alguns dos homens mais poderosos dos Estados Unidos juntam-se numa floresta de sequóias, na Califórnia, e sem inibições bebem cerveja e urinam nos troncos das árvores centenárias. O encontro chama-se Bohemian Grove e, durante duas semanas de Julho, junta os membros do mais exclusivo clube privado de homens do mundo, o Bohemian, e alguns convidados ilustres. O pouco que se sabe sobre o que lá se passa é resultado de raras indiscrições.


Cerca de 2.500 homens – há Presidentes dos Estados Unidos, executivos de petrolíferas e empresas militares e milionários – ocupam as cabanas de madeira espalhadas pelos 1.100 hectares de uma propriedade privada a 120 quilómetros de São Francisco. São na maioria brancos, conservadores e protestantes e à chegada recebem o programa do encontro: há peças de teatro, grandes jantares e palestras. Mas não se fala apenas de futilidades: foi aqui que, em 1942, nasceu o Projecto Manhattan, que construiu a bomba atómica.

Em 2008, o último ano da presidência de George W. Bush, os temas eram sombrios – América, Temos um Problema; O Futuro Não é o Que Costumava Ser.

Antes das palestras, há uma grande cerimónia, a Cremação da Preocupação. Os bohos, como se chamam uns aos outros, sentam-se no relvado junto a um lago artificial. À frente há um palco e a estátua de uma coruja – o símbolo do clube – com 12 metros de altura. Ao som de música apoteótica surgem homens vestidos com hábitos vermelhos a carregar um caixão. Lá dentro, segue um boneco de trapos, a Preocupação, que depois de ser exorcizado no altar junto à coruja é colocado num barco ao qual é lançado fogo. A cerimónia (descrita por um jornalista da 'Vanity Fair' que se infiltrou e que já foi filmada com câmara oculta) pretende dizer aos convidados que esqueçam os problemas e se divirtam.


O acampamento está dividido em campos para cada um dos grupos do clube. Antes de ser Presidente dos EUA, George W. Bush entrou no Hillbillies (rústicos, em português), que junta empresários do Texas, banqueiros e académicos. Os milionários Rockefeller estão no Stowaway (clandestinos, em português), com presidentes de petrolíferas.

Os ex-Presidentes dos EUA – todos os Presidentes republicanos desde 1923 – vão para o Owl’s Nest (ninho da coruja). Cada grupo organiza festas com música ao vivo, prostitutas angariadas em bares locais e actores porno (em 2004, uma estrela do cinema pornográfico foi contratada como empregado).

Uma das noites é reservada ao Jantar em Círculo, em que todos os convidados comem juntos ao ar livre e há sempre muita cerveja e vinho disponíveis – por isso se tornou uma tradição urinar para o tronco das árvores. Foi aliás este o argumento apresentado pelo clube para responder a um tribunal que, em 1986, exigiu que contratassem mulheres. A presença delas está restringida à cozinha do restaurante principal.



No último fim-de-semana é encenado um musical grandioso, com orquestra e cenografia e figurinos produzidos por profissionais. Cerca de 300 membros entram no espectáculo, muitos vestidos de mulher. “É a coisa mais maricas que se possa imaginar”, afirmou nos anos 70 o Presidente Richard Nixon – a frase está numa das gravações da Sala Oval.

O acampamento começou em 1878 quando um dos fundadores do clube, o actor Henry Edwards, se mudou para Nova Iorque e os amigos lhe organizaram uma festa de despedida na floresta de sequóias junto ao rio Russian. Divertiram-se tanto que a repetiram os anos seguintes.

No início, o terreno era arrendado. O Bohemian, fundado em São Francisco em 1872 por jornalistas e artistas, não tinha dinheiro. Mas os grandes empresários foram dominando o clube e, em 1893, compraram terrenos para o encontro anual. O regulamento exige que 10% dos membros trabalhe em artes e alguns são convidados, mas o ingresso continua a ser exclusivo. A inscrição custa 20 mil euros e a quota anual 4 mil. Ainda assim, a fila de espera é de 15 anos.

fonte: Sábado

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...