Watch live streaming video from occupynyc at livestream.com

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

FMI: Crise da dívida provoca perdas potenciais de 300 mil milhões nos bancos europeus























FMI alerta que os mercados "começam a duvidar da capacidade" dos líderes políticos "para tomarem as decisões necessárias" com vista a enfrentar o aumento dos riscos na estabilidade financeira.

Na Zona Euro, o FMI nota que as pressões da crise da dívida "ameaçam reiniciar um ciclo adverso entre o sector financeiro e a economia real".

As estimativas do FMI apontam para que o impacto directo da crise de dívida soberana dos países europeus, nos bancos da União Europeia, totalize já 200 mil milhões de euros desde o início da crise em 2010 (ver imagem em baixo).

Esta estimativa de perdas potenciais não contempla as necessidades de reforço de capital, nem a exposição dos bancos a outras entidades financeiras da região. Incluindo as perdas relacionadas com o sector financeiro, as expectativas do FMI apontam para que as perdas potenciais totais somem 300 mil milhões de euros, o equivalente a quase o dobro do PIB nacional.

Deste total de perdas potenciais, devido à expoisção dos bancos a obrigações soberanas, que têm registado quedas acentuadas, 60 mil milhões de euros dizem respeito à dívida soberana da Grécia. Incluindo Portugal e Irlanda, as perdas potenciais avançam para 80 mil milhões de euros, enquanto se for incluída a dívida soberana da Bélgica, Espanha e Itália (países afectados mais tarde pela pressão dos mercados), o impacto directo na banca europeia sobe para 200 mil milhões de euros.

Num capítulo do relatório, com uma análise mais detalhada às perdas potenciais dos bancos europeus com dívida soberana, o FMI discrimina os valores por país. Tendo por base os “spreads” no mercado de CDS, os bancos europeus apresentam uma perda potencial de 17 mil milhões de euro com a exposição que tem a dívida pública portuguesa. 

Tendo em conta a mesma metodologia, as perdas potenciais com dívida grega somam 56 mil milhões, irlandesa 7 mil milhões e belga 9 mil milhões. A exposição à dívida italiana (a mais elevada na Zona Euro em termos absolutos) representa perdas potenciais de 71 mil milhões de euros e à espanhola um total de 44 mil milhões de euros.

A soma de todos estes valores perfazem 204 mil milhões de euros (valor que o FMI arredonda para 200 mil milhões, pois os números iniciais estão todos arredondados a dezena de milhares de milhões de euros). Deste modo, o peso da dívida portuguesa nas perdas potenciais dos bancos com dívida soberana é inferior a 10%.

Os restantes 100 mil milhões de euros (para perfazerem os 300 mil milhões de euros) de impacto directo e indirecto, dizem respeito às perdas potenciais que os bancos da União Europeia apresentam com a exposição às instituições financeiras dos países da região.

"Apesar de estes números serem baseados nas avaliações de mercado do risco de crédito, pelo que podem estar sobrevalorizados, mostram que os problemas são reais", refere o FMI.

Além disso, "aumentam o risco de ocorrer uma desalavancagem mais severa, contracção no crédito e arrastamento económico, a menos que sejam tomadas medidas adequadas para contrariarem as origens do risco soberano", refere o FMI, apelando por isso a estratégias de consolidação orçamental credíveis.

Pede também que sejam tomadas medidas para enfrentar as consequências da crise para o sistema financeiro, através da melhoria da robustez dos bancos.


domingo, 25 de setembro de 2011

História da primeira mulher condenada à morte no seculo XXI


Asia Bibi, uma cristã paquistanesa, é a primeira mulher condenada à morte no século XXI. A jornalista Anne-Isabelle Tollet conta a sua história.

Estava-se em meados de Junho de 2009 e, no Punjab, faziam 45ºC. Asia Bibi trabalhava no campo para sustentar os seus cinco filhos. Fez uma pausa para matar a sede quando algumas mulheres muçulmanas a acusaram de contaminar a água do poço por ser cristã. Insultada, ripostou: «O que fez o vosso profeta para salvar os homens?». Foi o suficiente para desencadear a fúria dos aldeãos.

No dia seguinte Asia foi declarada culpada e presa por blasfémia. Em Novembro de 2010, quando o marido já preparava uma festa para a receber, a setença de pena capital por enforcamento era confirmada.

Dois homens que assumiram a causa de Asia Bibi acabaram mortos pelos radicais: o ministro das minorias Shahbaz Bahtti (dois dias depois de se ter encontrado com Hillary Clinton) e o governador do Punjab, Salman Taseer, assassinado pelo seu próprio guarda-costas com 25 tiros. Asia teve esperança de receber um indulto presidencial, que nunca chegou, e teve uma rara alegria ao saber que o Papa Bento XVI havia chamado a atenção para o seu caso na Praça de S. Pedro do Vaticano.

Anne-Isabelle Tollet é jornalista do canal France 24. Esteve na guerra do Kosovo, no Afeganistão e no Sudeste asiático depois do tsunami de 2004. Foi para o Paquistão como repórter em 2008 e regressou em Junho último. Há dois anos tomou conhecimento da história de Asia Bibi através do amigo Shahbaz Bhatti, entretanto assassinado. Agora decidiu contá-la ao mundo através do livro Blasfémia (Alêtheia). O SOL entrevistou-a em Lisboa.

Por que aceitou o convite para ir trabalhar para um país perigoso como o Paquistão?

Achei que era uma grande oportunidade. Penso que os dois países mais importantes neste momento para os jornalistas são o Paquistão e o Afeganistão.

Como mulher a viver no Paquistão lidou com o tipo de problemas que as mulheres enfrentam nas sociedades muçulmanas?

Na verdade isso facilitou as coisas. Como mulher pude encontrar-me e falar com mulheres paquistanesas, o que é impossível para um homem. E essa é uma perspectiva muito importante para compreender o país. Em segundo lugar, os muçulmanos têm medo das mulheres, em particular das ocidentais. Não queriam ter de lidar comigo. Por vezes era mais fácil para mim passar num posto de controlo. Os militares não queriam falar comigo, por isso fingiam que nem me viam. Outras vezes pude esconder-me debaixo de uma burca ou de um niqab.

Usou-os?

Usei, quando entrava numa área tribal, em Peshawar ou no vale de Swat. Mas era raro. Normalmente punha apenas um shalwar kameez e em Islamabad punha um lenço na cabeça, como Benazir Bhuto.

Segundo o seu livro, as palavras de Asia Bibi foram: «O que fez o vosso profeta para salvar os homens?». Tem a certeza de que ela não disse nada mais grave?

Tenho a certeza. Antes de escrever o livro pedi-lhe, através do marido, que era quem a visitava na prisão, que me dissesse exactamente a verdade. Eles confiaram em mim e contaram-me tudo. Disso tenho a certeza absoluta. Além disso, também entrevistei a mulher muçulmana que a acusou e ela confirmou a história.

Que tribunal decidiu isso?

Um tribunal regional. O juiz foi muito pressionado. Estava lá a aldeia em peso a exigir a pena de morte. Se o juiz não decidisse pela pena de morte seria provavelmente morto. Agora estamos à espera de um novo julgamento em Lahore, no Supremo.

Vai assistir?

Não é boa ideia. Agora eu também sou considerada blasfema. Duas outras pessoas que apoiaram Asia Bibi foram mortas. Não posso voltar ao Paquistão.

Alguma vez se encontrou com Asia Bibi?


Não, foi impossível. Pedi muitas vezes, mas as autoridades não querem que os jornalistas, muito menos uma jornalista estrangeira, falem sobre este caso. Não traz boa publicidade para o Paquistão.

Falava com ela através do marido.

Sim, e ele fazia as minhas perguntas à mulher.

O marido gravava as conversas?

Não, ele não podia ter nada durante a visita, nem mesmo um telefone. Por isso todas as semanas eu ia para a frente da prisão esperar pelas minhas respostas, para ter a certeza de que ele não se esquecia das palavras exactas.

fonte: Sol

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

BICHO DA MADEIRA


Anedotas sobre Jardim invadem redes sociais























Os portugueses têm fama de criativos quando se trata de criar anedotas sobre a actualidade. O buraco da Madeira tem dado origem às mais variadas piadas que correm céleres nas redes sociais.

Eis algumas.

OS COELHINHOS

A "estória" passa-se na Quinta da Vigia, sede da Presidência da Região Autónoma da Madeira. Um assessor informa reverentemente Alberto João Jardim que a coelha de estimação da filha de uma das empregadas tinha acabado de ter 12 coelhinhos, todos eles do PSD/Madeira. O Dr. Alberto João quis felicitar pessoalmente a menina e foi visitar a ninhada de novos militantes cuniculídeos. De imediato, a menina diz-lhe que dois coelhinhos eram do PSD/Madeira. Reacção imediata "Mas olha lá, ó buzica, a mim disseram-me que eram todos do partido". Ao que lhe responde a piquena: "Lá ser até eram sôtor, mas os outros dez já abriram os olhos"...

A JÁ CONHECIDA

Uma madeirense deu à luz um casal de gémeos e para homenagear a sua origem chamou Madeira à menina e Alberto João ao menino. Sabendo da história, o presidente do Governo Regional decidiu visitar a recém mãe. Encontrou-a a amamentar um dos bebés e a embalar o outro. E pouco receptiva ao estilo estriónico de Jardim. "Shiuuu, que se a Madeira acorda, o Alberto João já não mama mais!"

A DIFERENÇA HORÁRIA.

"São dez horas. Menos uma hora nos Açores. Menos uns milhões na Madeira."

OUTROS ÊXITOS DO FACEBOOK

Nas redes sociais não faltam imagens a ironizar com Alberto João Jardim.

Uma das mais recentes é a que pode ver na Foto 1, uma montagem sobre um anúncio de produto contra o "bicho da madeira".

Há também uma fotografia de Jardim numa pequena ilha a falar com Passos Coelho que saiu no "Inimigo Público" (FOTO 2)

E há ainda outras alusões a Alberto João Jardim, como a nova t-shirt da Cão aZul (FOTO 3).

Existe ainda um diálogo fictício no Facebook com Sócrates, Vítor Gaspar, Passos Coelho e Jardim (ver FOTO 4), que para facilitar a leitura aqui transcrevemos:

"Troika para Passos Coelho: Sr. PM, já pensou como é que vai resolver o buraco da Madeira?

"Passos Coelho: Sei lá, pá... aumenta-se os impostos! :P

"Vítor Gaspar: Segundo os meus cálculos, e se vires o powerpoint que te estou a enviar, verás que essa situação não é a mais viável...

"Vítor Gaspar: Pedro??

"Passos Coelho: eh pá, desculpa lá... dormitei um bocado...

"Vítor Gaspar: ???

"Passos Coelho: dás-me sono quando falas, que é que tu queres?!

"Vítor Gaspar: ...

"Alberto João: A cúlpa diste tude é do bastarde do Sócrates!

"Passos Coelho: oi?

"Alberto João: não percebeste, ó penteadinhe?

"Passos Coelho: fdx... tu escreves com sotaque??

"Alberto João: vocês no contenênte têm é inveja por eu ser rique, bonite e um grande presidente!

"Vítor Gaspar: bem, estive agora a fazer contas e, como podem ver no pdf que vos acabo de enviar, os valores de que estamos a falar vão precisar de um esforço por parte da despesa de cerca de

"Passos Coelho: adfdgssssssssssssssssssssssssssssssss

"Vítor Gaspar: Pedro?!?!?

"Alberto João: LOL! Adormeceu e bateu cus cornes no teclade!"

fonte: DN

Anedotas sobre Jardim invadem redes sociais


FOTO 3


FOTO 1


FOTO 2


Os portugueses têm fama de criativos quando se trata de criar anedotas sobre a actualidade. O buraco da Madeira tem dado origem às mais variadas piadas que correm céleres nas redes sociais.

Eis algumas.

A JÁ CONHECIDA


Uma madeirense deu à luz um casal de gémeos e para homenagear a sua origem chamou Madeira à menina e Alberto João ao menino. Sabendo da história, o presidente do Governo Regional decidiu visitar a recém mãe. Encontrou-a a amamentar um dos bebés e a embalar o outro. E pouco receptiva ao estilo estriónico de Jardim. "Shiuuu, que se a Madeira acorda, o Alberto João já não mama mais!"

A DIFERENÇA HORÁRIA.

"São dez horas. Menos uma hora nos Açores. Menos uns milhões na Madeira."

E há ainda outras alusões a Alberto João Jardim, como a nova t-shirt da Cão aZul (ver FOTO1).

E um diálogo fictício no Facebook com Sócrates, Vítor Gaspar, Passos Coelho e Jardim (ver FOTO 2)

Há ainda uma fotografia de Jardim numa pequena ilha a falar com Passos Coelho que saiu no "Inimigo Público" (ver FOTO3)

fonte: DN

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Explosão em central nuclear com perigo de fuga radioactiva


























Um forno explodiu hoje na central nuclear de Marcoule, no sul de França, provocando risco de fuga radioativa, informaram fontes dos bombeiros e da Câmara Municipal. Segundo o jornal francês Le Figaro o incidente fez um morto e três feridos

Um forno explodiu esta segunda-feira numa central nuclear - mais especificamente numa estação de tratamento de resíduos radioactivos da EDF (Electricité de France) - em Marcoule nuclear no sul da França, causando risco de fuga radioactiva, informaram as autoridades francesas e os bombeiros.

"No momento não há nenhuma fuga para o exterior", disse à AFP um porta-voz da Comissão de Energia Atômica (CEA).

Foi criado um perímetro de segurança para evitar o risco de fuga. Para já os bombeiros não foram capazes de fornecer uma qualquer avaliação do incidente. Tão pouco a Câmara Municipal pode neste momento avançar com alguma informação sobre o sucedido.

fonte: DN

domingo, 11 de setembro de 2011

11th September - 09/11/2001 (11'09''01)

A Farsa do World Trade Center





NY em alerta sobre ameaça terrorista em 11/09























A polícia de Nova York aumentou a segurança para o seu nível máximo, realizando inspeções de veículos, depois que as autoridades receberam informações que terroristas estão tramando um ataque à cidade, informou o website da NHK.

A tensão é crescente na cidade, próximo ao 10 º aniversário em memória à vítimas dos ataques terroristas de 11setembro, no domingo.

Na sexta-feira, a polícia montou postos de controle na Times Square e perto do local do World Trade Center, que entrou em colapso após os ataques de 2001.

Carros de patrulha e policiais foram mobilizados nas ruas, parando todos os veículos. Os motoristas tinham de mostrar as suas licenças e abrir os espaços de armazenamento de grandes caminhões de entrega.

Um motorista disse que nunca tinha visto antes engarrafamento até este ponto, mas que ele tem de entender com a espera por uma questão de segurança.

Um executivo japonês disse que se sente assustado com a segurança reforçada, acrescentando que ele vai tentar evitar sair no domingo.

O Presidente dos EUA, Barack Obama e o ex-presidente George W. Bush, estão programando participar do aniversário no domingo em Nova York.


Sites com informações sobre o 11 de Setembro:

Realidade Oculta / WTC



911 Experts speak out



Lista Youtube com videos «Reapen 911»

Veja a cidade de NY, visto a 360º do topo do WTC (imagem panorâmica 360º quando as torres ainda existiam)

11 de Setembro: teorias da conspiração ou realidade?























Uma das teorias da conspiração defende que teriam sido colocados explosivos nas torres do World Trade Center

Explosivos colocados nas torres, a encenação do voo 93 e os supostos quatro mil judeus que não foram trabalhar no dia do ataque são algumas das teorias da conspiração existentes.

Quando a realidade ultrapassa a ficção, como nos atentados de 11 de Setembro de 2001 em Nova Iorque, as explicações nunca são simples e as teorias da conspiração encontram terreno fértil.

A mão da administração de George W. Bush nos atentados, para justificar restrições draconianas às liberdades individuais e intervenções em países islâmicos, os atentados terem sido obra dos serviços secretos israelitas, ou o colapso das torres do World Trade Center ter sido provocado por explosivos e não pelo impacto de aviões sequestrados, estão entre as teorias da conspiração mais difundidas e persistentes sobre os ataques de há 10 anos.

A magnitude da catástrofe e o sentimento de vulnerabilidade que provocou parecem ter exigido outras explicações, mais obscuras e sinistras, para além de que uma organização terrorista, criada por um milionário saudita radical empenhado numa "guerra santa" contra o ocidente, tenha conseguido um golpe sem precedentes no coração da maior potência mundial parece não ser suficiente.

Drama do voo 93 seria encenado

Os factos apurados sobre os atentados indicam que a 11 de setembro de 2001 dois aviões pilotados por membros da Al-Qaida embateram nas torres gémeas, fazendo ruir os edifícios e matando 2753 pessoas. Um terceiro aparelho chocou com o Pentágono, em Washington, causando 184 mortes, e um quarto avião despenhou-se na Pensilvânia, matando mais 40 pessoas.

Uma das teorias da conspiração mais elaboradas defende que o drama do voo 93 - o quarto avião sequestrado, que se despenhou num campo depois de os passageiros terem lutado com os sequestradores - foi encenado.

A teoria da conspiração alega que o avião aterrou em segurança e que um outro avião, vazio, foi propositadamente despenhado. Os passageiros do voo 93 terão sido assassinados ou receberam novas identidades e foram enviados para outros países.

Factos oficiais vs "truthers" pela verdade

A exposição da vulnerabilidade dos Estados Unidos e da incapacidade de reação de alguns serviços foi dolorosa para uma população habituada à supremacia e as teorias da conspiração proliferaram e nasceram os grupos que se tornaram conhecidos como "truthers" ("pela verdade").

Grupos como o "Texanos do Norte pela Verdade de 9/11" - que reclama 50 membros oficiais e uma lista de pelo menos 200 pessoas que recebem um boletim informativo - continuam a realizar reuniões regulares para discutirem o colapso das torres gémeas.

Outros grupos ativos de "truthers" incluem o "Arquitetos pela Verdade de 9/11" e o "Académicos pela Verdade de 9/11".

Os valores da liberdade individual e do ceticismo e desconfiança em relação ao aparelho do Estado, fazem parte da genética dos Estados Unidos e em 2009 uma petição apelando para um inquérito independente às "verdadeiras causas" do colapso das torres do World Trade Center recolheu 80 mil assinaturas.

Apesar de refutadas, teorias da conspiração persistem

Ao contrário das teses da morte de Kennedy, que se desenvolveram ao longo de anos, as teorias sobre os atentados de 11 de setembro disseminaram-se quase instantaneamente através da Internet, alimentadas pela repetição das imagens traumáticas das torres a desmoronarem-se. E parecem ter longevidade garantida, apesar de terem sido desmanteladas por factos verificáveis.

Um dos "factos" que justificaria a tese de uma conspiração israelita seria o de que os 4000 judeus que trabalhavam nas torres gémeas tiraram folga no dia dos atentados.

Mas entre as vítimas mortais contaram-se 300 judeus e 100 muçulmanos. O número de 4000 judeus constava de uma lista do Ministério dos Negócios Estrangeiros de Israel sobre o paradeiro de cidadãos israelitas que se encontravam na área na altura dos atentados.

Apesar de a realidade poder ultrapassar a ficção e de as teorias da conspiração serem sistematicamente invalidadas, estas perduram e perpetuam-se. Como todos os teóricos da conspiração insistirão sempre, "a completa falta de provas é a prova mais segura de que a conspiração existe e está a funcionar".

fonte: Expresso

Os dez anos do 11 de Setembro serão usados para ciberataques























Com o aproximar do dia 11 de Setembro e da passagem dos dez anos sobre o ataque ao World Trade Center é expectável o crescimento de ciberataques com a alusão a esta data

Segundo a empresa de segurança informática BitDefender esta data irá ser aproveitada para o lançamento de ataques informáticos em larga escala, com o recurso a várias plataformas, desde site Web às redes sociais, passando por mensagens de e-mail fraudulentas.

«Com os desenvolvimentos das tecnologias de hacking e spamming da última década, juntamente com o significado do aniversário e aumento da cobertura mediática, o 11 de Setembro deste ano pode bem ser catastrófico no que diz respeito ao malware», reconhece Catalin Cosoi, Chefe dos Laboratórios de Ameaças Online da BitDefender.

Para a empresa as formas de conseguir infectar os computadores irão passar por várias estratégias, desde a criação de sites maliciosos, ao envio de spam com supostas imagens inéditas dos ataques e até mesmo recorrendo a pedidos de ajuda para instituições de caridade, que se revelam fraudulentos.

fonte: Sol

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Preço do pão pode subir
















O secretário de Estado da Agricultura, José Diogo Albuquerque, admitiu hoje a possibilidade de um aumento do custo do pão, consequência do preço dos cereais que disparou 76 por cento no último ano e deve continuar a subir.

«Claro que se os preços (dos cereais) persistirem, é possível que haja um impacto (no pão)», considerou, em Mirandela, à margem de uma reunião com uma associação local de agricultores.

O governante referiu que como «o pão é um produto transformado, o impacto da subida de cereais não se sente tão imediatamente», mas não excluiu essa possibilidade.

Portugal importa 75 por cento dos cerais que consome e o secretário de Estado acredita que é possível diminuir a dependência do exterior nesta e outras áreas responsáveis por um défice de quatro mil milhões de euros na balança comercial agrícola portuguesa.

Segundo defendeu, o país pode também aumentar a produção interna com a conversão das explorações de sequeiro para regadio, além da investigação de variedades que tenham maiores produtividades em zonas difíceis e com climas secos.

José Diogo Albuquerque entende que essa solução não necessitará de novos investimentos, mas a rentabilização dos já existentes, como é o caso do projeto de 100 mil hectares de regadio do Alqueva, no Alentejo.

«Já houve bastante investimento no regadio, falta averiguar e perceber porque é que não há mais aumento e conversão dos produtores de cereais para regadio. Nós temos um projecto com à volta de 100 mil hectares para área de regadio, estão 50 mil feitos, mas só 10 mil a funcionar», disse.

Para o secretário de Estado, «é importante esta reconversão». Porém, deixou um alerta aos agricultores «porque, muitas vezes, quando há aumentos de preços há uma adesão de moda a um certo tipo de cultura, mas os preços sobem e depois voltam a descer».

«Nós vimos isso no leite, em 2007. Houve uma euforia com os preços altos e depois os preços desceram e entrámos numa crise do leite. Portanto, aqui há que ter sempre muita calma e ponderação. Cabe-nos também dar esses dados e fazer as previsões», afirmou.

O secretário de Estado comentou ainda a proposta do Bloco de Esquerda para a criação de um «banco de terras», adiantando que é um assunto que o Governo «está a estudar».

«É óbvio que um sistema de emparcelamento mais positivo que permita aos agricultores irem buscar terras quando as necessitem é fundamental. Portanto, em termos de ideologia, estamos em convergência. Em termos de como chegar lá, nós estamos a analisar e queremos propor algo que seja funcional», declarou.

fonte: Sol

Ataque com certificados digitais falsos afecta CIA e Mossad
















O ataque informático, conhecido esta semana, que recorre a certificados digitais falsos está a causar mais danos do que inicialmente previsto. No início apenas se conhecia o ataque levado a cabo contra os utilizadores iranianos de Internet através dos certificados digitais da Google mas o caso mudou de figura

O governo holandês veio reconhecer que também foram roubados e falsificados certificados digitais da empresa DigiNotar, pelo que, no seu caso, já revogou todos os certificados emitidos por esta empresa.

E um relatório da empresa de segurança informática Fox-IT refere que para além da DigiNotar e da Google, também a CIA, a Mossad , a Yahoo, a Microsoft e mesmo o Skype e o Facebook foram afectados por este ataque.

De acordo com a BBC está em causa o roubo e a falsificação de cerca de 500 certificados digitais.

A Fox-IT não identificou quem está por detrás da falsificação mas aponta como origem dos ataques o território iraniano.

fonte: Sol

domingo, 4 de setembro de 2011

Mais de 100 pessoas hospitalizadas na Rússia por intoxicação com brómio


Uma fuga de brómio na Rússia obrigou ao internamento de pelo menos uma centena de pessoas. Aconteceu na cidade de Cheliábinsk. O químico estava a ser transportado num vagão de carga que estava parado numa estação ferroviária. O cheiro deu o alerta. As autoridades isolaram o vagão.

fonte: RTP

Em sintonia


quinta-feira, 1 de setembro de 2011

WikiLeaks divulga ficheiro misterioso
























O WikiLeaks difundiu esta noite de quarta-feira um ficheiro misterioso, encriptado, depois de ter avisado os seus seguidores no Twitter para se prepararem para receber "um anúncio importante".

O famoso site especializado na divulgação de documentos confidenciais não informou o que contém o ficheiro, de 571 megabytes, que necessita de uma chave para ser aberto. Apenas anunciou que esta seria divulgada "no momento oportuno", noticia a AFP.

A mesma fonte lembra que, em Julho, o WikiLeaks também divulgou um ficheiro encriptado, de 1,4 gigabytes, afirmando que o seu conteúdo seria tornado público caso algo acontecesse ao fundador do site, Julian Assange.

Assange continua no Reino Unido, lutando na justiça contra a extradição para a Suécia onde é acusado de violação de uma colaboradora.

Há poucos dias, o WikiLeaks divulgou mais de 130 mil 'telegramas' de embaixadas norte-americanas, parte do que afirma ser um consjunto de 251 mil documentos do género.

fonte: DN

Provados voos secretos da CIA com suspeitos de terrorismo























Um litígio que envolve uma empresa privada de transporte aéreo revelou provas de que foram realizados voos clandestinos pela CIA para transportar suspeitos detidos na "guerra contra o terrorismo", após o 11 de Setembro de 2001.

Segundo o jornal Washington Post, dezenas desses voos, a maioria para Bucareste, Baku, Cairo, Djibouti, Islamabad e Tripoli, foram organizados pela empresa Sportflight, com sede em Long Island (Nova Iorque), através do aluguer de um avião à Richmor Aviation, que processou a primeira alegando quebra de contrato.

Os planos de voos e as listas de chamadas, incluindo responsáveis da CIA ou a sede da agência de informações, foram apresentados como provas no julgamento em Nova Iorque, de acordo com o mesmo jornal, que foi alertado para a disputa judicial pela organização não governamental britânica Reprieve, especializada nos direitos dos prisioneiros, designadamente de detidos pelos EUA em Guantánamo, na ilha de Cuba.

A Richmor cobrava 4.900 dólares (cerca de 3.400 euros) por cada hora de utilização de um Gulfstream IV e ganhou cerca de seis milhões de dólares (mais de quatro milhões de euros) em três anos com o contrato que tinha com a Sportflight, segundo os documentos apresentados ao tribunal.

De acordo com o jornal britânico The Guardian, também alertado para este processo pela Reprieve, a Sportflight avisou a Richmor de que o "cliente disse que iria estar muito, muito ocupado".

Os documentos apresentados em tribunal pelo presidente da Richmor, Mahlon Richards, explicam que seria transportado "pessoal governamental e os seus convidados".

O Washington Post descreve um desses voos, operado a 12 de Agosto de 2003 por um Gulfstream IV, que partiu do aeroporto Dulles, de Washington, com seis passageiros a bordo em direção a Banguecoque. Antes do seu regresso quatro dias depois, o aparelho aterrou no Afeganistão, Sri Lanka, Emirados Árabes Unidos e Irlanda.

O voo, que custou 339.228,05 dólares, parece coincidir com a detenção, a 14 de Agosto de 2003, na Tailândia, do indonésio Riduan Isamuddin, suspeito de ser um dos responsáveis pelos atentados de Bali que causaram 202 mortos em 2002. Isamuddin esteve detido três anos nas prisões secretas da CIA antes de ter sido transferido para Guantánamo, em setembro de 2006.

De acordo com o Guardian, o aparelho alugado pelo Sportflight poderá ter sido também utilizado aquando da detenção de Khalid Cheikh Mohammed, suspeito de estar por detrás dos atentados do 11 de Setembro de 2001. Mohammed foi alegadamente submetido a interrogatórios com recurso à tortura, como a simulação de afogamento, que terá sido utilizada 183 vezes num mês.

O Gulfstream IV da Sportflight foi identificado como tendo sido ainda sido utilizado no sequestro em Milão do imã egípcio Abou Omar, cujo verdadeiro nome é Osama Hassan Nasr, membro da oposição islamita radical que beneficiava de asilo político em Itália.

Omar terá sido sequestrado numa rua de Milão a 17 de Fevereiro de 2003, durante uma operação coordenada entre os serviços secretos italianos e a CIA, e depois transferido para o Egito, onde os seus advogados alegaram ter sido torturado. No final de 2010, 23 agentes da CIA foram condenados com penas de sete a nove anos de prisão por este sequestro.

No quadro da "guerra contra o terrorismo" lançada pela administração do Presidente George W. Bush após os atentados de 11 de Setembro, a CIA foi acusada de ter realizado várias detenções, sequestros e transferências secretas de suspeitos de terrorismo para países conhecidos por praticarem tortura.

fonte: DN

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...