Watch live streaming video from occupynyc at livestream.com

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Pico do Petróleo atingido?


Em declarações ao jornal Expresso, Luís de Sousa, membro da Associação para o Estudo do Pico do Petróleo e do Gás (ASPO-Portugal) e colaborador do blogue The Oil drum, defendeu que “há uma ideia generalizada de que já se está a viver esse período de pico (do crude). Prevê-lo já não é relevante”.

Os principais modelos matemáticos e contabilísticos de produção de petróleo, que as entidades independentes da indústria petrolífera usam, apontam para um máximo num intervalo de cerca de uma década, centrado entre 2008 e 2010, num intervalo de produção entre 78 e 85 milhões de barris diários, explica o especialista. “Desde 2005, a produção mundial de líquidos fósseis tem-se situado entre 80 e 82 milhões de barris por dia, em clara consonância com aqueles modelos”, o nível do crude “tem sido assegurado pelo aumento dos líquidos associados ao gás natural, estando a produção do crude propriamente dito em quebra desde esse ano”, explicou Luís de Sousa.

Como o tema voltou à “ribalta”

Foi através de um relatório secreto, do grupo de estudos futuristas do centro alemão para a Transformação das Forças Armadas, publicado no jornal Der Spiegel, que o tema foi despertado. O estudo prospetivo a 30 anos chamou a atenção particularmente da Europa. Frases como: “a escassez vai afetar toda a agente” e os “aumentos do preço do crude colocam um risco sistémico, não só para os sistemas de transporte, mas igualmente para todos os outros subsistemas” serviram de aviso. Foi também deixado um recado no relatório que diz que “é vital assegurar o acesso ao petróleo”, porque até 2040 poderemos assistir a “uma mudança no panorama da segurança internacional com novos riscos – como o do transporte dos combustíveis – e novos atores num possível conflito em torno da distribuição de um recurso crescentemente escasso”.  Luís de Sousa explicou que a escassez de que falam os alemães pode estar relacionada com “uma quase rigidez no aumento da produção, que se fixou numa banda de variação que se formou desde 2004”.


Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...