Watch live streaming video from occupynyc at livestream.com

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

SITE SINISTRO RECEBE DOAÇÕES ANÓNIMAS PARA ASSASSINAR POLÍTICOS



Conheça os primeiros seis nomes colocados na lista negra

É sinistro e totalmente anónimo. Este site foi descoberto no início do mês, mas só na semana passada é que se conheceu com detalhe o seu objectivo último: o financiamento público de assassinatos políticos. O ‘Assassination Market’ (mercado dos assassinatos) esconde-se na chamada dark net – a zona invisível da Internet – e encoraja as pessoas a contribuírem com dinheiro para um fundo em nome de um dos alvos. Até agora há seis nomes (ver caixa) com a cabeça a prémio, mas o propósito confessado é desencadear uma vaga de assassinatos de líderes políticos em todo o mundo, de forma a “destruir todos os Governos”.

O funcionamento é simples: o site apresenta uma lista de alvos a eliminar; os visitantes oferecem dinheiro para aumentar o valor do prémio do alvo que acham que deve morrer – e, assim, tornam mais aliciante a tarefa de potenciais assassinos, que receberão como prémio a verba do alvo que matarem. Para provar a autoria há regras: antes do atentado o assassino deve escrever num documento a hora e o dia em que vai cometer o crime, encriptá-lo e transformá-lo numa única linha de caracteres. Depois, faz uma doação no nome do seu alvo e insere essa linha na transferência. Cometido o assassinato, deve enviar esse texto ao administrador do site, que verificará se ele corresponde à linha de caracteres antes remetida. Feita a confirmação, o assassino receberá o valor do alvo – menos 1% da comissão cobrada pelo site.

O ‘Assassination Market’ foi criado há quatro meses por alguém que se identifica com o pseudónimo Kuwabatake Sanjuro, o nome do samurai do filme ‘Yojimbo’, de Akira Kurosawa [na foto]. Foi o próprio a revelá-lo, num emailencriptado enviado para a revista ‘Forbes’ a detalhar o novo negócio.

Sanjuro diz que, para garantir a segurança e o anonimato dos doadores, as transferências são feitas em bitcoins, a moeda virtual praticamente não detectável e por isso associada com frequência a actividades ilegais online. Apesar disso, o Departamento de Justiça americano defendeu, na semana passada, perante o Senado, que a moeda é um instrumento financeiro legítimo.

Criada para garantir o anonimato e a liberdade de expressão, a dark Net serve também para ocultar um mundo onde proliferam todo o tipo de actividades ilegais e que não está acessível aos utilizadores normais. Para aceder a ela são necessários programas que encriptam todos os dados e impedem com grande segurança a localização – mas não a 100%. Em Agosto, por exemplo, o FBI fechou milhares de sites na dark Net.

Em trocas de email com o editor da ‘Forbes’ Andy Greenberg, Sanjuro afirmou que os doadores podem sugerir nomes para a lista, mas “por uma questão de ética” só “aceitará alvos que tenham usado a força contra outros seres humanos. Mais especificamente, pessoas que se encontrem fora do alcance da lei, cujas vítimas não têm outra maneira de se vingar sem ser anonimamente”.

Sanjuro diz-se influenciado por Jim Bell, um antigo engenheiro da Intel preso por evasão fiscal. Bell escreveu um ensaio a defender um sistema de financiamento de assassinatos através da encriptação de doações anónimas. Sanjuro tornou a ideia real.

O seu impulso final para a criação do site foi, no entanto, a revelação de Edward Snowden de que a NSA (Agência Nacional de Segurança) construiu uma infra-estrutura que intercepta quase tudo em todo o mundo, constituindo uma ameaça à liberdade de opinião.

Há sites semelhantes ao ‘Assassination Market’, como o ‘Contract Killer’, ‘Quick Kill’ ou ‘C’thulhu’, que apregoam vender os serviços de assassinos em troca de pagamentos em bitcoins, mas, nestes casos, todas as investigações sugerem que são embustes para enganar e roubar dinheiro.

Sanjuro é o primeiro a dizer que não há forma de saber se o seu site é também um esquema para roubar bitcoins aos doadores, mas observa que se fosse seria muito complexo e arriscado, uma vez que só ameaçar o Presidente dos Estados Unidos já é um crime.

Apresenta-se como um “cripto-anarca” – quer garantir a privacidade e a liberdade através da criptografia – e está optimista: “Temos um futuro brilhante à nossa frente.”


Ben Bernanke. O director da Reserva Federal americana já vale mais de 62 mil euros (124 bitcoins) para quem o matar e provar que o fez.


Barack Obama. O Presidente é apontado como responsável por milhares de mortes; o seu nome na lista já vale mais de 20 mil euros.


Keith Alexander. O director da Agência de Segurança Nacional é responsável pelo maior sistema de escutas no mundo. Vale 5 mil euros.


James Clapper. O director da National Intelligence coordena todas as informações e é o principal conselheiro de inteligência do Presidente.


François Hollande. O Presidente francês está na lista pela sua política anti-imigração; o seu nome só angariou ainda 1bitcoin (€500).


Jyrki Katainen. O primeiro-ministro da Finlândia é alvo por o seu país ter centros de dados de empresas globais, como a Google e a Microsoft.


1 comentário:

  1. Tive um sonho e vi dois homens, um estava vestido como um politico e tinha 2 chifres na cabeça, ele começou a dar uma gargalhada macabra ao ponto de me assustar, o segundo homem era parecido com primeiro mas ele estava deitado no chão e dormindo.Então vi o 1 homem acorda o segundo e quando esse abriu os olhos começou a sair dolares americanos do olho direito dele tinha de todos os tipos de nota.em seguida vi um homem vestido de branco com uma espada e ele matou os dois homens e o sonho acabou.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...